Relações entre as características sensoriais e o risco microbiológico em águas cinzas tratadas para reúso predial

Resumo: A lei municipal de Vitória nº 7.079/2007 instituiu o Programa de Conservação, Redução e Racionalização do Uso da Água nas Edificações Públicas no Município de Vitória-ES. Dentro das ações de racionalização do uso da água encontra-se a utilização de fontes alternativas de água. Dentre as fontes alternativas de água, as águas cinza apresentam o maior potencial de exploração em edificações residenciais (unifamiliares ou multifamiliares) e corporativas (GONÇALVES, 2006). O reúso de águas cinza é uma prática crescente nas áreas urbanas de todo o planeta (GONÇALVES, SILVA E WANKE, 2007). Recentemente observa-se uma ampliação notável do parque de edificações certificadas como edifícios verdes (Green building), com um crescimento considerável do número de projetos candidatos à certificação no Brasil e no mundo (ARAÚJO, 2009).
No Espírito Santo os primeiros edifícios “verdes” com sistema de reúso de águas cinza encontram-se no município de Vitória. Entretanto, essa prática do reúso de águas cinza chega ao país desorganizadamente, sem arcabouço legal consistente tenha sido construído para aportar segurança e tranqüilidade para usuários, empreendendores, projetistas, construtores, operadores órgãos de licenciamento. Sua aceitação é potencializada pelos recentes desenvolvimentos tecnológicos na área da construção civil sustentável, impulsionados por movimentos de sociedade no sentido da conservação ambiental e de combate ao aquecimento global nas áreas urbanas do mundo. As águas cinza podem ser condicionadas até atingir características compatíveis com qualquer tipo de reúso, inclusive potável direto, no entanto, em função de condicionantes técnico-financeiras, a quase totalidade das realizações disponíveis hoje em dia se enquadra como reúso não potável. Os principais fatores que influenciam na aceitação do reúso pelos usuários são: fatores emocionais e percepção do risco, entretanto esses conhecimentos são limitados. Estudos realizados no Brasil e no exterior indicam a presença de matéria orgânica e microorganismos na água cinza. Sendo importante considerar esses aspectos para o reúso.
O projeto de pesquisa em questão se enquadra em um movimento amplo de sociedade na busca do desenvolvimento sustentável, que, sob os aspectos da indústria da construção civil, incentiva o desenvolvimento de projetos e de novas tecnologias que proporcionem a redução da geração de resíduos, o uso racional de recursos naturais tais como a energia e a água, a utilização de materiais ambientalmente corretos e a determinação de parâmetros para avaliação ambiental de edifícios.
Desta maneira, o grupo Núcleo Água / UFES propõe juntamente com Faculdades Integradas Espirito-Santenses (FAESA), a Universidade Federal do Mato Grosso do Sul e a Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra (FFUC) em Portugal, um projeto abordando o estudo das características sensoriais da água cinza e sua relação com o risco microbiológico envolvido no seu reúso em descarga sanitária visando fornecer subsídios técnicos para a consolidação da prática do reúso de águas cinza nas edificações brasileiras, de acordo com critérios e parâmetros que assegurem o desempenho sanitário e ambiental dos sistemas de reúso. Na FAESA, a Prof. Drº Rosane Hein de Campos, colaborará com o projeto com sua experiência com tratamento de esgoto. Na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul a Professora Drª Paula Loureiro Paulo desenvolve pesquisa relacionada ao tratamento e risco microbiológico de água cinza para reúso predial no âmbito do edital Saneamento e Habitação2010 (MCT/Mcidades). Na Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra (UC) em Portugal a Professora Drª Angelina Pena desenvolve pesquisa relacionada à detecção de diversos compostos utilizando a técnica de HPLC acoplado a diversos detectores.
Nesse sentido, projeto em questão visa fornecer subsídios técnicos para a consolidação da prática do reúso de águas cinza nas edificações brasileiras, de acordo com critérios e parâmetros que assegurem o desempenho sanitário e ambiental dos sistemas de reúso.

Data de início: 2012-10-10
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Doutorado Laila de Oliveira Vaz Oliveira
Coordenador Ricardo Franci Gonçalves
Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910